“Hulk” revela que ele está com raiva da injustiça no mundo.

Mark Ruffalo, que interpreta o personagem do Universo Marvel, promoveu o filme Infinity War no México

Se há algo que irrita Mark Ruffalo, é injustiça no mundo. Durante sua visita ao México para promover o filme Avenger: Infinity War, o ator indicado três vezes ao Oscar considerou que a raiva é um sentimento natural do ser humano, mas que também pode ser ocupado para fazer coisas positivas.

“O que me deixa com raiva é a injustiça no mundo, e uso esse sentimento para lutar pelas coisas importantes, coisas que acho que posso devolver ao que me foi dado desta plataforma muito privilegiada”, disse o ator que no universo Marvel interpreta Hulk.

Depois de estrear como Hulk  de  Vingadores, em 2012, o ator ressaltou que participar desta franquia permitiu que ele abrisse mais como pessoa, considerando-se tímido e solitário.

“Na minha experiência eu aprendi que o mundo Marvel é uma família, amizade, continuidade e significa estar aberto a uma experiência colaborativa, sabendo que há pessoas lá que estão sempre com você, do seu lado. É como uma segunda família ”, disse o ator.

Fonte: El Sol de México
Tradução: Ionara Ferreira

Mark Ruffalo discute o impacto do universo Marvel em sua carreira.

A Publinews International conversou com Mark Ruffalo sobre sua experiência no Universo Cinematográfico da Marvel  e como ele se sente como parte do elenco de quatro das maiores bilheterias da história.

É fácil descartar e ignorar quão incrível foi o sucesso do universo dos filmes da Marvel. Seus 18 filmes encontraram uma audiência e melhoraram o universo de filmes aparentemente imparável.

Ok, “O Incrível Hulk” de 2008 foi o único fracasso. Mas um grande efeito positivo surgiu a partir dessa etapa, quando a Marvel tomou a decisão sábia e premonitória de substituir Ed Norton por Mark Ruffalo como Bruce Banner, que rapidamente se tornou um grande favorito dos fãs.

Recentemente tive a oportunidade de conversar com Ruffalo sobre Hulk, “Avengers: Infinity War” e o impacto que a Marvel teve em sua própria carreira.

Então, “Avengers: Infinity War”, isso parece um marco histórico?

Definitivamente parece um marco histórico. Um evento cinematográfico de um marco histórico.

Você acha que o Universo Cinematográfico Marvel alcançaria esse nível quando você se juntou?

Honestamente, eu fiquei tipo, “Ok, eles me aceitarão por isso, mas vai ser assim, eles vão acabar reformando o quanto gostam de fazer tanto”. Estou completamente em choque porque eles continuam me ligando e as pessoas ainda querem ver esses filmes.

O que o trabalho na Marvel fez  em sua carreira?

Temos que ser honestos com esse tipo de pergunta. Porque, qual é o sistema com o qual estamos trabalhando? É totalmente ditado pela bilheteria. Você poderia ser um ótimo ator, mas se o filme não ganhar dinheiro, eles não falarão com você novamente.

Meu agente me disse outro dia: “Você está em 4 dos 10 filmes de maior bilheteria da história”. Que é louco.

Você está trabalhando em algo que você acha que não teria acontecido sem a Marvel?

É difícil dizer. Eu acho que isso torna tudo que eu sou mais atraente. Não só pelo dinheiro, também por causa da exposição. Tenho sorte porque já me estabeleci no mundo indie. E o mundo impulsionado pelo personagem antes de vir aqui.

Esses filmes são amados, eles não arruinaram sua credibilidade …

Os tempos mudaram. O que as pessoas achavam que era crível 10 ou 15 anos atrás agora não é mais.

Então eu tenho permissão para retornar a esses espaços. Se eu não tivesse aberto esses espaços, poderia ter sido mais difícil voltar para eles. As pessoas talvez não me quisessem lá. Existe um problema de marca que pode ser problemático para os jovens atores.

Isso te emociona?

Bem, eles dizem que todo sofrimento é a recusa em aceitar a realidade como ela é e então eu aceito essa realidade como ela é, então eu não a sofro. Depois, há algumas pessoas que querem se envolver em uma briga com a Netflix.

É como quando passamos os filmes para o formato digital. Foi realmente ameaçador para as pessoas. A próxima grande coisa será: ‘Spielberg decide filmar seu próximo filme em fita. Woah! ‘Mas todos seguiram.

O mundo está mudando. Provavelmente está mudando mais rápido do que nunca. E é provável que algo não seja tão bom para todos. Mas esta é a natureza do tempo em que estamos vivendo.

Texto: Gregory Wakeman / Publinews International
Tradução: Ionara Ferreira
Fonte: Publinews

Mark Ruffalo e Sunrise Coigney formam um dos casais mais sólidos em Hollywood.

image

Você pode ter visto Mark Ruffalo e sua parceira, Sunrise Coigney, em dezenas de eventos e tapetes vermelhos. Eles formam um dos casais mais sólidos em Hollywood e também um dos mais atraentes e unidos. Possivelmente foi graças às complicações que foram encontradas ao longo do caminho, o que os fez crescer juntos.

De acordo com o site Romper, Ruffalo se apaixonou por ela instantaneamente e isso não o impediu do fato de que um amigo dele também estava interessado em manter um relacionamento com ela. O ator foi um desastre absoluto quando conheceu Coigney em 1998. “Eu estava morando em um muquifo e eu nem tinha carteira de motorista ou cartão de crédito, ela achava que era um desastre, mas ela acreditava em mim e continuava me encorajando”, disse ele ao The Guardian.

Coigney não concordou em sair com ele no início, mas ela pensou melhor e eles estão casados por quase duas décadas, com três filhos em comum. Mesmo assim, seu relacionamento não foi um caminho de rosas.

O artigo destaca o difícil momento em que eles passaram, apenas quando seu primeiro filho, Keen, nasceu. Sua esposa estava a duas semanas de parto quando diagnosticaram o ator com um tumor cerebral. Ruffalo, querendo que sua esposa fique tranquila, não disse nada. “A pior experiência da minha vida, eu tinha tanta certeza de que eu ia morrer que eu inclusive gravei um video para meu filho, então ele saberia quem era seu pai”, disse ele a Closer Weekly. Felizmente, descobriu-se que era benigno.

“Honestamente, não foi sem suas dificuldades, falhas, não foi sem alegrias ou aprendizado e desenvolvimento”, Ruffalo define sua relação.

Vingadores: Guerra Infinita – Mark Ruffalo diz sobre as relações das HQs com o filme e comenta a “Guerra Mundial Hulk”.

Mark Ruffalo

conversou com o site Cinema Blend, onde ele falou a respeito de fidelidade às histórias originais e em como Guerra Infinita usa como base os quadrinhos.

Ruffalo alegou que o filme “é um novo território” em relação a tudo. 

“É muito diferente dos quadrinhos. Há elementos que claramente são os mesmos, mas quando a história começa, tudo muda. Eu fiz… Planeta Hulk foi uma grande influência para Thor 3, e a ideia, o conceito de Guerra Mundial Hulk começa a… Eu li antes de fazer o filme, e há muita coisa interessante ali, mas honestamente não há nada diretamente relacionado… Desafio Infinito é bem informativo, mas, novamente, ele se distancia e começa a ficar um pouco confuso, e você fica como ‘por que isso não está aqui por que estamos fazendo isso’?”. 

Vingadores: Guerra Infinita estreia nos cinemas dia 26 de Abril

Mark na Comic Con 2017

No último sábado, aconteceu o terceiro dia da Comic Con 2017 em San Diego na Califónia. O evento contou com a presença do elenco de Thor: Ragnarok que estavam presentes para a divulgação do filme. 

Primeiro, teve uma sessão de autógrafos com a presença do diretor Taika Waititi Chris Hemsworth e o nosso querido e amado Mark. Os fãs tiveram a oportunidade de tirar fotos, conversar e pegar autógrafos com os atores. 

No painel principal, todo o elenco do filme estava presente e cada um comentou um pouco sobre seu personagem no filme e o Mark comentou sobre o Hulk como gladiador: “Hulk se recusa a voltar para Banner. Ele está curtindo seu tempo em Sakaar. Ele é um campeão de gladiadores.” Mark também acrescentou um comentário sobre seu personagem, “Hulk irá falar em Thor 3, com o vocábulo de uma criança de 2 anos.” 

Thor: Ragnarok estreia dia 26 de Outubro nos cinemas. 

Filme Anything

EXCLUSIVO: Matt Bomer e John Carroll Lynch estrelam Anything, um drama com direção de Timothy McNeil. O filme conta a história uma transgênero (estrelada por Matthew Bomer) que se apaixona por um homem hétero. Esta é a primeira prévia do filme que tem Mark Ruffalo como produtor executivo e que estréia mundialmente neste final de semana na sessão da LA Muse no Los Angeles Film Festival.

O filme recebeu algumas críticas quando foi apresentado pela primeira vez no verão passado. A comunidade trans questionou a escolha de um não-trans para o papel principal. Ruffalo defendeu Bomer e disse que escolheu ele para o papel logo após sua profunda experiência com o ator no filme da HBO, The Normal Heart.

A história do filme está centrada em Early Landry (Lynch), que é forçado a se mudar para Los Angeles após ter perdido sua esposa e ficar sob os cuidados de sua irmã (Maura Tierney). Early rapidamente foge para a tão sonhada Hollywood a fim de começar uma vida nova e é lá que ele conhece e se encanta por Freda (Matt Bomer), sua vizinha. A solidão e necessidade de uma companhia que ele tinha abre o seu coração para um novo relacionamento. No entanto, a afeição que ambos sentem devem ser conciliadas com a complexidade do passado deles. Melora Hardin, Micah Hauptman e Margot Bingham também estão no filme.

O clipe apresenta uma interação entre Freda e Early na cena filmada pelo cinematográfico de Moonlight, James Laxton. Louise Runge, Ofrit Peres, Kylene Steele e Hauptman são produtores do filme, enquanto Ruffalo, Scott Wexler e Great Point Media’s Robert Halmi e Jim Reeve são produtores executivos.

Anything estréia mundialmente no Sábado às 3:00 p.m. no Ar light Cuninema, em Santa Monica.

Confira abaixo o clipe e o poster do filme:

image

Fonte: Deadline
Tradução: Anderson Júnior.  

Depoimento: The Price

Oi pessoal, tudo bem com vocês?
Esses dias eu pensei em fazer uma coisa bem legal para vocês. Soube que alguns brasileiros tiveram a oportunidade de assistir o Mark no teatro, na peça “The Price” que ele estava fazendo, então pedi a permissão de alguns deles para pegar alguns depoimentos sobre a experiência de ver visto a peça em Nova York e também como foi assistir e conhecer o Mark. Então, o primeiro post de hoje é sobre o depoimento de Cristina Pavone, que é de Campinas-SP.

image

“Vou contar como foi a minha experiência em conhecer o Mark pessoalmente e assistir a peça The Price na Broadway.

Desde a minha adolescência e inicio da  vida adulta, eu acompanho os filmes do Mark, claro que por ele ser muito carismático e atraente, facilmente ele desperta empatia nas pessoas, além dos filmes serem excelentes, a principio  eu assistia mais os filmes românticos com viés cômico e depois comecei  a me interessar por todo porrifólio dos filmes do Mark.

Assisti mais de 25 filmes, além de acompanhar todas as mídias sociais em que ele aparece, dai então eu me apaixonei pela pessoa encantadora que ele é.

Um homem que ama verdadeiramente a sua linda família, esposa e filhos e que se importa com o planeta e o bem estar das pessoas e da natureza, a luta pelas questões climáticas, pela igualidade e pelas comunidades menos favorecidas.

Sou admiradora do ativismo que existe nele, também concordo e pratico de alguns temas, por isso minha admiração aumenta cada dia mais.

Além do mais, hoje sou mãe de um menino de 6 anos, e continuo assistindo todos filmes que ele faz e principalmente a linha da Marvel, que claro  o Hulk é meu super herói preferido, rs.

Então o sonho de conhecê-lo, tocar aumentava mais, então quando fiquei sabendo da peça The Price, foi a minha oportunidade, na mesma hora falei com meu marido, que sabe dessa paixão pelo Mark e combinamos de viajarmos para Nova York,  excepcionalmente para chegar perto dele, sentir aquela sensação tão desejada, a realização de um sonho. Dai fomos nós, eu então publiquei  no dia da viagem em minhas  redes sociais para meus amigos, quando  já estávamos no aeroporto:  Mark cadê você eu vou pra NY só pra te ver! E meus amigos, alguns deles confiantes  e outros um pouco duvidosos, me enviaram mensagens de força e motivação e ficaram no aguardo para ver o que iria acontecer.

Eu que sou insistente na realização dos meus sonhos, entrei no espetáculo, assisti a peça, fiquei maravilhada em ver ele tão de perto, a peça que é um drama: Mark lindo dentro da sua farda militar, atuando brilhantemente em uma peça emotiva, onde conta  a força do capitalismo, das relações familiares, das lutas das classes onde vem expões as questões de ética,  honestidade e corrupção. Claro que o Mark tinha que ser o cara mais legal daquela família, dentro da história lindo como sempre e com a postura espetacular.

Bom, quando acabou a peça eu fiquei em pleno desespero eu precisava abraça-lo, sabe aquela  tão esperada foto, a Self que meu amigos brasileiros tanto esperavam, eu estava lá lutando contra um frio na porta de fora do teatro na Avenida 43 em uma fila em plena madrugada esperando que ele saísse pelo portão e viesse falar com seus fás que ali estavam na mesma expectativa que eu.

Todos eufóricos e eu mais nervosa, poque não  tenho domínio do idioma Inglês, mas valeu muito apena, Mark saiu e foi até lá, muito atencioso falou com todas as pessoas que esperavam por ele, nos abraçou e cumprimentou a todos.

Sai dali parecendo uma criança eu pulava de mão dada com meu marido feliz, numa adrenalina maravilhosa, jamais vou esquecer desse momento tão inesquecível. Olhei dentro dos olhos dele, ele devolveu com um olhar carinhoso, essa imagem ficou na minha mente e em meu coração.

Beijos com Carinho, Cris.”